Missão no Brasil do Relator Especial das Nações Unidas para Moradia Adequada, Sr. Miloon Khotari

, par AITEC

O Relator Especial da Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas sobre Moradia Adequada como componente do Direito a um Padrão de Vida Adequado, Miloon Kothari, realizou missão oficial no Brasil, de 30 de maio a 12 de junho.

A visita do Relator Especial decorreu do "standing invitation" estendida pelo Governo brasileiro a todos os Mecanismos Temáticos da Comissão de Direitos Humanos da ONU em dezembro de 2001.

Miloon Kothari é indiano e arquiteto. Organizou o Comitê de Direitos Humanos da Habitat International Coalition e é assessor da Youth for Unity of Voluntary Action, a principal ONG indiana de direito à habitação. É relator especial da Moradia Adequada desde o ano da criação desta relatoria pela CDH em 2000. Como Relator Especial da CDH, já realizou missões à Romênia, ao México, aos Territórios Palestinos Ocupados, ao Peru, ao Afeganistão e ao Kênia. No desempenho de seu mandato, aborda o direito à moradia adequada de uma maneira ampla, que inclui não somente a moradia mas o acesso a serviços básicos como eletricidade, água e saneamento, bem como a proteção contra evicções forçadas, além de aplicar uma perspectiva de gênero e de combate à discriminação. Dá ênfase particular a temas como a globalização e a liberalização do comércio e seus impactos sobre o direito à moradia adequada e outros direitos humanos relacionados que integram o direito à cidade.

A missão do Relator Especial foi acompanhada pela A Relatoria Nacional do Direito Humano à Moradia Adequada e à Terra Urbana integra o Projeto Relatores Nacionais, coordenado pela Plataforma Brasileira de Direitos Humanos Econômicos, Sociais e Culturais (DhESC), A Relatoria Nacional da Moradia trabalha tanto com o diagnóstico da implementação do direito à moradia no Brasil, como no monitoramento de casos de violação ao direito à moradia adequada, em especial das populações mais vulneráveis, sejam estes sem-teto que vivem nas cidades, sejam populações tradicionais (quilombolas, índios, populações ribeirinhas etc.).

A missão incluiu ainda visitas às cidades do Rio de Janeiro, de Fortaleza, de Salvador e Recife, nas quais teve encontros com a sociedade civil e com autoridades dos três níveis de governo relacionadas a seu mandato, bem como realizou visitas a projetos governamentais de habitação e à comunidades em favelas e áreas de risco.O Relator Especial iniciou sua missão pelas cidades de São Paulo e Santo André, tendo visitado projetos governamentais, favelas, cortiços e ocupações, além de mantido encontros com autoridades governamentais e ONGs.

Em todas as cidades que visitou houveram audiências públicas com a participação da sociedade civil que na oportunidade enviaram suas denúncias de violação ao direito à moradia.

Em São Paulo, estiveram presentes os seguintes movimentos e entidades : União dos Movimentos de Moradia ; Movimento Nacional de Luta por Moradia ; Movimento dos Trabalhadores Sem Teto ; Central de Movimentos Populares ; Confederação Nacional de Associação de Moradores ; Articulação Estadual pelo Direito à Cidade ; Fórum de Cortiços de Sem Teto de São Paulo ; Movimento de Defesa dos Favelados ; Associação dos Sem- Terra da Zona Norte, Oeste e Leste 1 ; Grêmio Recreativo- Zona Leste ; Diretora da Confederação das Mulheres do Brasil ; Associação dos Movimentos de Moradia da região Sudeste ; Movimento de luta por moradia em Guarulhos ; Social Watch- Uruguai ; Observatório Internacional do Direito à Cidade ; FACESP (Federação das Associações Comunitárias do Estado de São Paulo) ;Movimento contra a 3 ª Pista de Guarulhos ; Federação das Associações de Moradores de Minas Gerais ; Movimento de Moradia do Centro- MMC ; Movimento de Moradia dos Sem Teto do Centro- MMS. Em Brasília, houve reunião com o Ministro das Cidades, Ministro do Desenvolvimento Agrário, Secretário Especial dos Direitos Humanos, Secretária Especial de Políticas para Mulheres, Secretária Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Secretário-Executivo do Ministério da Justiça, Secretário-Executivo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e com a Secretária de Qualidade Ambiental em Assentamentos Humanos do Ministério do Meio Ambiente, entre outras autoridades federais.

Participou ainda de audiência conjunta das Comissões de Desenvolvimento Urbano e Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, encontros com representantes do sistema ONU no país e audiência pública com movimentos populares.

De 5 a 6 de junho de 2004 o Relator Especial foi à Alcântara (MA), onde visitou as comunidades remanescentes de quilombos e participou de audiência com a sociedade civil, bem como teve reunião no Centro Técnico do Centro de Lançamento de Alcântara.

O Relator Especial deverá apresentar o relatório de sua visita ao Brasil à 61ª Sessão da Comissão de Direitos Humanos da ONU, em março/abril de 2005. Mas preliminarmente já enviou suas observações onde menciona a dedicação de uma sociedade civil excepcionalmente forte, considera que o movimento da sociedade civil brasileira deve ser visto como um exemplo.

Afirma o relator a importância das novas leis que foram promulgadas , tais como o Estatuto da Cidade que se constitui em um instrumento para a elaboração participativa no desenvolvimento de planos e alocação de recursos e prevê mecanismos inovadores relativos à : zonas especial de interesse social, estudos de impacto de vizinhança, segurança da posse e regularização fundiária.

No entanto demonstra sua preocupação com relação aos processos participativos, que embora exista uma garantia legal e apoio do governo federal existe uma lacuna de participação real no planejamento e desenvolvimento de planos e alocações de recursos a nível local.

Demonstra sua satisfação de presenciar a aprovação na Câmara dos Deputados do Fundo Nacional de Moradia, que consiste em ser uma demanda popular de muitos anos, no entanto, ressalta a importância de garantir sua eficácia indo de encontro às necessidades dos mais vulneráveis, e que o mesmo deveria estar idealmente vinculado ao FGTS e a fundos complementares de outras fontes.

O relator afirma que tratará extensamente sobre o deslocamento e a insegurança da posse das populações indígenas, ribeirinhas e quilombolas em seu relatório final. Outro apontamento que faz o Relator é do destaque que fará em seu relatório final à falta de moradia, a falta de terras, ao déficit habitacional, a inadequação da moradia, a falta de acesso a segurança na posse .

INSTITUTO POLIS

Nelson Saule Junior

+ 55 11 - 32586121

Nous suivre

AGENDAToutes les dates

Audio/VidéoTous les documents

  • Théâtre "Changement Climatique : de l’Or en Barre"

    , par AITEC

    CHANGEMENT CLIMATIQUE : DE L’OR EN BARRE Une création de la compagnie TAF Théâtre Une initiative de l’Aitec en partenariat avec Attac.
    Cette pièce aborde les enjeux de changement climatique, du pouvoir des multinationales et de la mobilisation citoyenne, dans le cadre de la (...)

  • La face cachée des accords d’investissement

    , par AITEC

    Comment des tribunaux internationaux forcent nos gouvernements à payer les entreprises avec notre argent.
    Vidéo produite par le Transnational Institute (TNI) sur la face cachées des accords d’investissements et leurs conséquences en termes de démocratie, d’inégalité et de droits (...)

  • Entretien de l’Aitec à RFI sur les enjeux du PTCI

    , par AITEC

    La seconde session de négociations sur le PTCI entre l’Union Européenne et les Etat-Unis s’est tenue à Bruxelles du au novembre.
    A cette occasion, l’Aitec a répondu à une interview de RFI sur les dangers qu’un tel accord engendrerait pour les populations et (...)

  • #19o Vidéo pour la Journée européenne d’actions pour le droit au logement et à la ville

    , par AITEC

    La coordination européenne d’actions pour le droit au logement et à la ville et contre la spéculation appelle à une journée d’action en Europe pour lutter pour le droit au logement et à la ville, contre le logement cher et contre l’austérité ! Construisons une Europe sociale, qui garantisse le droit au logement pour toutes et tous ! Unissons nos forces pour transformer le logement, les terres et les villes en biens communs ! Montrons notre volonté collective de construire une force d’opposition au niveau européen pour des conditions de logement digne avec des actions le 19 octobre !

    Confronté-e-s à ce régime brutal d’austérité européenne qui continue de transformer nos vies en des biens financiers de spéculation globale, violant chaque jour le droit universel au logement, détruisant la démocratie à tous les niveaux et ne présentant aucune solution socialement acceptable à la crise du capitalisme, nous partageons l’orientation commune que l’alternative nécessaire à ce barbarisme ne peut être construite qu’à travers des mouvements sociaux élargis pour une intégration sociale européenne alternative.

    À Amsterdam, Athènes, Berlin, Budapest, Dublin, Düsseldorf, Genève, Lisbonne, Lorient, Malaga, Milan, Paris, Poznan, Rotterdam, Rouen, Rome, Toulouse, et Varsovie des actions auront lieu pour dénoncer la spéculation et pour exiger au niveau national et européen le respect et l’application du droit au logement pour toutes et tous.

    PARIS – SAMEDI 19 OCTOBRE RDV 14h – Place de la République

    Blog : http://europeandayofactionforhousingrights.wordpress.com/
    Facebook : https://www.facebook.com/pages/Oct-19th-European-Day-of-Action-for-Housing-Rights/1402919649939067 et inscrivez-vous à l’événement : https://www.facebook.com/events/460204120759718/
    Twitter : #HousingforPeople et #19o